eu mantenho esse sentimento 

de que há mais por vir 

de que tudo não vai ruir 

e de que isso tem um por que 

eu sigo deixando uns pedaços pra trás 

umas migalhas a mais 

do que eu finjo querer 

eu luto comigo todo dia 

pra andar na linha

por alguém que não quero ser

e isso me deixa louca 

e a única coisa que importa

é o amanhã não existir 

mas mais um dia eu estou aqui 

sem ter como fugir 

ponto final.

{tudo tem sindo mais do que eu posso ver, tocar e/ou mudar. eu não sei o que escrever e descrever o quão esgotado eu estou. é completamente nojento ser eu. não escolheria isso de jeito nenhum. mesmo. eu sei tudo que já fiz e faço. mas a hora de acabar já deveria estar aqui. não tenho mais força para resistir.o momento de me levar é agora. por favor. me faça se sentir bem. me faça sentir algo bonito e que eu possa viver naquele instante.
não me deixa acabar assim.
eu estou sozinha de vez e eu sei disso.
eu quero me sentir bem.
não posso mais fazer tanto mau a todos. chega.
todas as palavras já ditas. estão guardadas na minha cabeça. elas gritam e me fazem lembrar que sou desprezivel.
é evidente o quão horrivel eu consigo ser. fisica, mental e social. não tem  mais jeito.
sou algo que não suporto e entendo por que de ser descartavel.
o desprezo esta chegando ao nivel da perda de medo. não me deixe ir assim.

eu preciso ir embora de mim.}

não me olha

eu sou o desprezo
eu sou a repetição
eu sou o que fica
eu sou o que se isola
eu sou o que se mata
eu sou o que chora
eu sou o que grita
eu sou o vazio
eu sou a tempestade
eu sou o que vê
eu sou o que não sente
eu sou a frieza
eu sou lixo
e a gente não se merece
eu sou nada
eu sou as vozes
eu sou o que não para
eu sou o que quer dormir
eu sou o que vivi aqui
eu sou o que quer fugir
eu sinto as batidas chegarem
e não sei correr
eu sou o que fala demais
eu sou o que quer se aparecer
eu sou o clichê
eu sou o que tenta atrair
eu sou o despercebido
eu sou o que não te deixa seguir
eu sou inutil
eu sou egoista
eu sou consumista
eu sou hipocrita
eu sou sozinho
eu sou o momento parado
eu sou burro
e não sei como viver

 

 

1:17 am

mais uma noite confusa
queria sentir o peso dos sonhos
estou ouvindo o que em mim esta contido
da-me liberdade e um pouco de café
não durmo
e a diante vou ficar de pé

olho para as paredes
um vazio branco
alguns riscos sim
persitência da memória

ouço a musica aumentar
a hora nunca chega
o corpo ta falho
a mente também
tão nova, eles dizem
mas gostaria de ser outro alguém

 

you don’t know me at all

esse cofusão que me persegue não me deixa mais dormir ou sentir o que é real
é preocupante não saber o que aconteceu ou o que é sonho?
quando os remédios ajudaram eu vi na madrugada
o grande prédio de arbustos na minha cabeça
eu vi a chuva se aproximar e uma liberdade imensa me transpassar
o cara com o olhar longe e tão sereno
as mortes que provoquei
rostos que não sinto
não sei ser o que sou com você
não sei não ser o que sou comigo
me ajude a correr
não sou o que queria ver
eu sinto tanto ser desprezivel
eu sinto ser só isso
não te limito
me omito
adeus
você não me conhece
o que mora na minha cabeça
me da a certeza
o certo esta sumido
e eu que lhe digo
adeus