Her

Eu li em algum lugar que cada vez mais as crianças estão ficando a merce do computador. Já se desenvolvem dependendo de jogos, depois dos cantatos, agenda e pronto, o vicio esta feito. É estranho pensar que antigamente era tudo bem mais pessoal no boca a boca, na carta e hoje só online.
Esse filme trata exatamente disso. Como nós criamos uma espécie de relação com nossos celulares e isso se torna parte integrante de nossas vidas. Claro que para retratar isso o diretor levou  a um nivel a mais e é chocante e comovente o resultado disso.


A história se passa em um futuro que aparenta estar bem proximo e conta a história de Theodore, um homem que acabou de sair de um relacionamento de 10 anos e começa a se aproximar de Samantha que é um sistema operativo que atua como a personalidade humana. Com o tempo começa a surgir uma intimidade e um companheirismo enorme entre os dois e isso ocasiona em um namoro. Os pequenos detalhes que Samantha começa a reparar e fazer parte na vida de Theodore é a idealização perfeita de como os relacionamento deveriam ser. Em uma era onde as pessoas se ignoram, eles trouxeram amor.
Um dos filmes mais tocantes que já vi, por isso recomendo pra vocês. A cena final roubou meu coração.
Espero que gostem, me contem pelas redes sociais.
Beijos

Anúncios

Cidades de Papel

Li esse livro a um tempo e explodi de felicidade ao saber que teria o filme. Ansiedade não cabe em mim.
Quentin é apaixonado por Margo que é misteriosa, loira e popular. O velho lance da adolescente americana idolatrada por todos. Um dia ela simplesmente entra pela janela de Quentin e o chama para participar de uma noite de aventura e vingança. Óbvio que o garoto aceita o convite e fica muito animado com o interesse dela por ele e já cria esperança para um futuro romance. Porém, na manhã seguinte Margo foge de casa e planta pistas para ele, que prontamente sai a procura da garota com a ajuda de alguns amigos.

É um dos meus livros favoritos e quem sabe sera um dos meus filmes também.
Fiquei muito feliz por saber que a Cara vai interpretar a Margo,por que quando li imaginei exatamente ela. Foi incrível!
Corram para ver por que estreia hoje nos cinemas, 9 de julho.
Espero que vocês gostem, me achem pelas redes sociais. Beijos

Clube da luta

Já havia visto fotos de cenas desse filme e apenas isso me fez se interessar por ele. Mas devo dizer que a história é mais do que você consegue imaginar. A principio a ideia de um clube de luta parece comum, mas o diretor conseguiu levar isso a outro nível e mais ainda, driblar o sentido e colocar a psicologia muito a fundo nesse filme.
A vida comum do descontente narrador muda completamente quando conhece Tyler, um cara que é seu oposto. A amizade se firma com o Clube da luta e os dois começam a levar a vida de um modo peculiar. “In Tyler we trusted” Tyler conduz o clube com um olhar desafiador sobre o mundo, da aos participantes um motivo a mais para suas vidas. Os deixa com mais sede de adrenalina.
E para melhorar o filme tem esses incriveis: Edward Norton, Brad Pitt, Elene Bohham Carter e Jared Leto.
Essa é a velha história de “nada é como você pensa” e vale MUITO a pena ver e ficar em êxtase, se perguntando o que foi isso, no final!
Assista aqui
Assista aqui

Depois de ver clica neste link e veja algumas teorias sobre o filme, achei intrigante.

Vincente 

Confesso que por ser um curta já cheguei a ver mais de 10 vezes direto.
Já faz um tempo que eu amo filmes e curtas do Tim Burton (sou apaixonada por seus filmes e no momento é meu diretor favorito).Dai eu estava fazendo um trabalho sobre Stop Motion e achei esse curta. Que fala sobre um garoto, Vincent Malloy, que tem uma imaginação imensa e se coloca como Vincent Price que é um ator de filmes de terror excêntrico. Que alias, é o narrador da história. Esse curta é cheio de coisas que me fizeram ama-lo demais. Mostra aquele universo sombrio da maioria dos filmes do Burton, imaginação fora do normal, é preto e branco, animação, narrativo e tem aquelas piadas estranhas. Não tinha como eu não gostar, espero que vocês compartilhem desse amor comigo.

O curta “Eu não quero voltar sozinho”

De uma simplicidade enorme. Falas comuns, mas de grande análise. Abordagem bem feita. Personagens característicos. Desenvolvimento que prende e final que “deu tudo certo”.

Ele simplifica sem desmerecer a fase da adolescência confusa de três jovens que se sentem presos a uma certa condição ou sentimento que é tabu. O fato de ter um melhor amigo é ótimo, não é? Mas perceber que está o amando de forma diferente pode abalar a amizade e colocar nossa mente em curto circuito. Ser cego em um mundo repleto de cores e invenções diferentes, deve ser muito duro. Ser novo em um escola e se apaixonar, otimo. Se for recíproco, claro!

A trama é explicada nos seus 17 minutos. O que é o admirável, pois coloca a dúvida e consegue respondê-la dentro do tempo.  Com atividades do cotidiano, esse curta mostra como nossos sentimentos podem atingir nossa vida e nos proporcionar novas experiências.  Colocando em pauta um assunto ainda polêmico, a homossexualidade. O autor aborda isso de uma forma doce e inocente.